Web Analytics
10 de maio de 2017

REVISTA GERAL BAHIA

INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE

PALAVRA DO EDITOR – Fim do mistério? Explicações sobre o caso, Kelly Amaral Rocha, deixaram mais perguntas do que respostas.

Quem foi a Câmara de Vereadores na
última segunda-feira (08) em buscas de respostas sobre a pergunta: “quem é Kelly Amaral Rocha?”, voltou
frustrado e no mínimo com mais dúvidas do que esclarecimentos e com a certeza
de que os caroços por baixo do angu são muito mais do que uma simples troca
(permuta)  de uma funcionária concursada
da Prefeitura Municipal de Macarani I
(Fernanda Oliveira dos Anjos) por uma contratada pela Câmara de Vereadores
(Kelly Amaral Rocha).

Além da atitude intempestiva,
ditatorial e desrespeitosa do Presidente Edmilson Lima, que fez um monólogo ininteligível
e sem sentido em que jogo no lixo do vocabulário a palavra democracia quando não
permitiu o debate sobre o assunto desrespeitando os seus colegas Vereadores e
da falta de respeito a inteligência de todos os presentes quando se preocupou em
cumprimentar as mães pelo seu dia que comemora-se no próximo domingo, e falar
do campeonato da cidade ao qual ele quase nunca se faz presente ou ainda em
agredir o ex-prefeito Nogueira, citando inclusive sua presença no recinto sem
que o mesmo lá estivesse nenhum esclarecimento de fato foi feito.
A única certeza mesmo foi de que a Kelly Amaral Rocha foi sim contratada pela Câmara de Vereadores em março de 2015, que nunca pisou os pés
na Câmara e que a Câmara paga a ela mais de 1800 reais enquanto a Fernanda Oliveira dos Anjos, que
ocupa a sua função na casa legislativa ganha o mísero salário mínimo de R$ 937,00 (novecentos e trinta e sete
reais) pagos pela Prefeitura Municipal de Macarani.
Ou seja: a Câmara está levando um prejuízo
enorme na relação custo benefício, já que paga o dobro do salário que Fernanda Oliveira dos Anjos
recebe da Prefeitura para Kelly
Amaral Rocha
. Isso tem explicação?

O Presidente entregou a cada um dos
vereadores um envelope pardo contendo os documentos que seriam as provas da
legalidade na contratação de Kelly Amaral, e, numa prova inequívoca de respeito
ao nosso trabalho e responsabilidade, fomos o único órgão de imprensa entre os
demais representados por seus repórteres e comunicadores a receber o mesmo
envelope.
E neste envelope que o público não
teve acesso na hora, (porque aqui
divulgamos todo o conteúdo),
há uma declaração assinada pela Diretora da Escola Professor Afrânio
Gomes de Carvalho (EMPAGC), Professora Nair de Sousa Silva
, atestando
que Kelly Amaral Rocha, é lotada na instituição de ensino desde o dia 05 de
abril de 2017.

Pergunta: E durante os anos de
2015 e 2016 em que continuou
contratada pela Câmara, por onde andou Kelly? Porque não tem atestado de outras
instituições de ensino assinados pela diretora ou diretoras das instituições de
ensino  as quais ela esteve lotada? Tem explicação?
Um internauta inclusive nos enviou
algumas considerações que deixamos abaixo para análise futura da população, dos
passivos vereadores e principalmente do
Ministério Público Estadual (MPE
), onde já existe uma ação de
iniciativa popular pedindo investigação dos fatos com denúncia de improbidade
administrativa praticada pelo ex-presidente
Jorge Motos e pelo atual, Edmilson Silva.
01 – 
É muito estranho o presidente não franquear a palavra para seus colegas.
02 –  Fazer uma permuta entre uma
contratada e uma servidora concursada.
03 – E devido repercussão estranha,
suspeita até agora essa mulher não foi demitida, já que é uma contratada e
normalmente sempre estão renovando.
04 – O fato de, Kelly Amaral Rocha,  ser parente de um vereador e ser concursada em
Maiquinique, cidade onde a ex prefeita é cunhada do vereador que é parente dela
em questão e  este concurso  é  suspeito
de fraude e está na mira da Justiça!
05 – Se ela é paga pela Câmara e não
presta serviço por lá, quais os critérios utilizados pelo ex-presidente, Paulo
Jorge Novato para dar por três meses salário vantagem de R$ 500,00 (quinhentos
reais) para a mesma e o atual ter elevado o salário da mesma para dois salários
mínimos?

Como falamos lá no início do
editorial, para tristeza dos presentes e da corajosa, Dalila Silva Dias, que
ficou conhecida como a mulher da pizza, o assunto pode até ter morrido na
Câmara de Vereadores pela passividade da maioria dos seus representantes, mas o
povo irá ficar na esperança de que as investigações do Ministério Público
através da atitude da Drª. Guiomar, Promotora de Justiça representante do MPE,
tragam luz sobre a escuridão e esclarecimentos realmente convincentes sobre o
caso Kelly Amaral Rocha.
Como diria Sherlock Holmes: “Existem mais mistérios nesse caso do que imagina a nossa vã filosofia meu caro Watson.”
Compartilhe via: