Web Analytics
12 de fevereiro de 2019

REVISTA GERAL BAHIA

INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE

HISTÓRIA REPETIDA – Prefeito nem aparece na Prefeitura, mas aceita conversar com uma comissão de professores nesta terça-feira.

Sem café, o chá de espera de quase três horas foi a base de redes sociais.

Por enquanto o ano letivo está encaminhado, já que nesta segunda-feira 11/02 apenas parte das escolas do Município de Macarani funcionaram em função da paralisação organizada pelos Professores das escolas Autímio, Eleni Blesa e Dr. Fernando Sá Miranda.

Logo cedo as 08h da manhã de ontem,  os profissionais destas três escolas, cumprindo o que prometeram, se postaram em frente a Prefeitura portando cartazes com palavras de ordem e exigindo seus direitos. Em seguida eles adentraram à Prefeitura onde após o tradicional chá de cadeira sem que o Prefeito Miller Ferraz desse as caras, foram atendidos pelo Secretário de Desenvolvimento Abraão Lacerda.

E enquanto os Professores estavam à espera do Prefeito, a Secretaria de Educação emitia a seguinte nota publicada na imprensa oficial da Prefeitura e disseminada nas redes sociais:

Fabiane Souza Santos – Secretária Municipal de Educação de Macarani.

“A Secretaria Municipal de Educação e Cultura comunica a toda a população de Macarani e em especial, aos alunos e pais de alunos das nossas escolas municipais que a paralisação iniciada nesta segunda-feira por um grupo de professores municipais, visando pressionar a Administração para a concessão de reajuste salarial, mesmo ciente de que a gestão atual, todos os esforços vem fazendo para valorizar a classe dos professores, e que desde janeiro está se estudando a melhor forma de conceder-se os reajustes, conforme entendimentos que vinham sendo mantidos com a classe, onde ficou estabelecido que o reajuste seria concedido a partir deste mês de fevereiro, de acordo o reajuste do FUNDEB, mesmo diante das graves dificuldades pelas quais todos os municípios estão passando, razão pela qual a Administração não pode aceitar que por interesses particulares, quem tem a obrigação de estar cumprindo a sua função de professor, prejudique os alunos. Enquanto a maioria dos municípios brasileiros e diversos estados da federação sequer conseguem pagar os salários em dia, e muitos ainda estão atrasados com o salário de dezembro e o 13º, nós, em Macarani, estamos honrando, rigorosamente em dia, com esses pagamentos, inclusive com os terços de férias dos professores, pagos no mês de janeiro. Nenhum professor da nossa rede está passando dificuldades financeiras, em virtude de atrasos nos pagamentos de seus salários, e esteja a comunidade certa que a Administração saberá honrar tanto quando possível com o cumprimento dos direitos dos professores, assim como de todos os servidores, mas acima de tudo está o direito dos nossos alunos terem esses professores dentro das sala de aula, cumprindo suas obrigações.”

Após aguardarem quase três horas pelo Prefeito, e se contentarem com Abraão Lacerda, os Professores enviaram ao RGBAHIA a seguinte nota sobre o que ficou decidido e quais os próximos passos da categoria na luta por seus direitos:

Professores também emitiram nota a população. E, olha Jefferson aí gente!

“Hoje nos mobilizamos e paralisamos nossas atividades para reivindicar nossos direitos. Professores das escolas Autimio Altamira Pires, Sá Miranda e Eleni Blesa participaram desta parada. Em reunião com o jurídico da prefeitura cobramos o pagamento do reajuste 2017/2018, pagamento das classes, uma data fixa para os pagamentos, o uso correto das verbas do Fundeb. O secretário propôs um acordo para que voltaremos à escola e amanhã o prefeito nos atenderá.

Também queremos que não seja cortada a ajuda de custo dos professores da zona rural. Em momento algum estamos tentando prejudicar nossos alunos, que temos responsabilidade com nossa escola.

Essas aí são nossas reivindicações  e conversa com o jurídico. Se não ficar acordado amanhã, voltaremos com paralisação legal e amparada.

Nós faltamos um dia para fazer reivindicações que nos era de direito, e eles que fecharam as aulas o ano passado quase 30 dias antes do calendário, para não pagar o transporte e a merenda e está em atraso de salários com os professores contratados e demitidos em novembro.

O secretário Abrão foi o quem intermediou e nos tratou com respeito, porque até então o café e os copos foram retirados do nosso alcance. Um absurdo!”

Os Professores que farão parte da comissão que tentará ser recebida pelo Prefeito serão: De  Itabai, Arele,Leila e Jeane.

Das outras escolas serão  Gilberto,Valéria,Odilon, representantes do Sá Miranda que não haviam sido definidos ontem a noite, e também o Presidente do Sindicato dos Servidores Jaílson Costa.

Compartilhe via: