Web Analytics
9 de setembro de 2020

REVISTA GERAL BAHIA

INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE

ATÉ ONDE VAI? Elemento rouba residência em Macarani, leva 300 reais e depois diz que roubou para pagar pensão alimentícia.

Tem cara de pau para tudo, mas alguns elementos passam dos limites. Esse foi o caso de um indivíduo conhecido por Maicon, e que na manhã desta terça-feira invadiu a residência de Sérgio Enfermeiro, quando o mesmo se encontrava ausente da sua residência. E segundo testemunhas, o gatuno entrou pelos fundos da casa e saiu andando tranquilamente com uma mochila nas costas.A Polícia Civil foi imediatamente acionada tão logo Sérgio foi comunicado do fato e agiu rápido ao ponto de recuperar ainda a mochila e um par de botas que Maicon havia surrupiado da residência. Mas a quantia de trezentos reais não foi recuperada, segundo o Gatuno informou, o dinheiro foi usado para a seguinte finalidade: “Eu não tenho mais o dinheiro comigo, pois utilizei para pagar a pensão alimentícia, a mulher está me perturbando muito e sem trabalho eu não tinha como resolver e então tive que roubar.” É realmente muita cara de pau não é mesmo?

                     PAI DO ANO!

Sérgio, que é uma pessoa de bom coração parece que acreditou na História do “Pai do Ano”, porque desistiu da queixa crime contra o elemento e se contentou apenas com a recuperação do seu par de botas de estimação. Sem uma queixa oficial e sem o flagrante, a Polícia apenas tomou o depoimento do “Papai”, e o mesmo foi liberado.

             SÉRGIO – VÍTIMA DE BOM CORAÇÃO.

Em tempo: segundo o Delegado Dr. Roberval Nolasco, o elemento não está livre do processo: “Na verdade o cidadão responderá ao processo penal normalmente, independentemente do desejo da vítima pois se trata de furto,crime de ação pública incondicionada,ou seja,a apuração não está condicionada ao desejo da vítima e seguirá normalmente. Só não houve flagrante porque o lapso temporal não permitiu mas haverá processo, inclusive porque o autor do delito é reincidente e com certeza não irá parar de delinquir por desejo próprio. No que depender da polícia civil ele será preso para alívio da sociedade.”

 

Compartilhe via: