Web Analytics
5 de agosto de 2022

REVISTA GERAL BAHIA

INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE

05 DE AGOSTO – Dia Nacional da Saúde, Dia Nacional da Farmácia e do Médico Patologista.

05 de agosto é o 217.º (ducentésimo décimo sétimo) dia do ano no calendário gregoriano. Faltam 148 dias para acabar o ano de 2022. 

Dia Nacional da Saúde

O Dia Nacional da Saúde é celebrado anualmente em 5 de agosto no Brasil. O objetivo da comemoração é conscientizar a sociedade brasileira sobre a importância dos cuidados com a saúde e trazer reflexões sobre o nosso sistema de saúde. A data também incentiva a educação sanitária para despertar na população o valor da saúde e dos cuidados para com ela.

O 5 de agosto também celebrada o nascimento de Oswaldo Cruz, um dos principais responsáveis pelo desaparecimento de epidemias que acometiam o Brasil até o início do século XX, como febre amarela e varíola.

Origem do Dia Nacional da Saúde – O Dia Nacional da Saúde foi oficializado e inserido no calendário oficial brasileiro através da Lei nº 5.352, de 8 de novembro 1967, do Ministério da Saúde e da Educação e Cultura. O dia 5 de agosto foi escolhido para celebrar o Dia Nacional da Saúde por ser a data de nascimento do sanitarista Oswaldo da Cruz. Esse profisisonal foi um importante personagem na história do combate e erradicação das epidemias da peste, febre amarela e varíola no Brasil, no começo do século XX.

Oswaldo da Cruz nasceu em 5 de agosto de 1872, e foi responsável pela criação do Instituto que atualmente conhecido como Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, além da fundação da Academia Brasileira de Ciências.

05/8 – Dia Nacional da Farmácia

A ciência da Farmácia tem como objetivo o desenvolvimento e a produção de medicamentos, utilizando como matéria prima plantas, animais e minerais. As atividades relacionadas à farmácia tiveram origem por volta do século 10, com as chamadas boticas ou apotecas – e remédios feitos a mão.

Nesse período, a medicina e a farmácia eram uma só profissão. Era função do boticário conhecer e curar as doenças, mas ele deveria cumprir uma série de requisitos e ter local e equipamentos apropriados para a preparação e armazenamento dos medicamentos.

Com a propagação da lepra, Luís XIV, rei da França, amplia o número de farmácias hospitalares. E em 1777, Luís XV determina a substituição do termo apoticário por farmacêutico. No século 18, a profissão farmacêutica se separa da medicina e fica proibido ser médico e proprietário de botica. Mais adiante, em 1813, foi publicado o primeiro tratado de toxicologia, dando início à moderna farmacologia.

No Brasil, a profissão de boticário surgiu no período colonial. O boticário manipulava os produtos na frente do paciente e de acordo com a farmacopeia e a prescrição médica. Trazido de Portugal pelo governados geral, o primeiro boticário no Brasil foi Diogo de Castro. Isso só foi possível após a coroa portuguesa detectar que no País, o acesso aos medicamentos só acontecia quando novas expedições apareciam com suas esquadras.

A partir de 1950, a sociedade passa a dispor dos serviços das farmácias e da qualificação do farmacêutico. Em meados de 1961 foi criado o Conselho Federal de Farmácia (CFF), que tem como função inscrever os profissionais, registrar as empresas, fiscalizar o exercício das atividades farmacêuticas e zelar pela integridade profissional.

Dia do Médico Patologista.

Afinal quem é o Médico Patologista? O que ele faz?  O Patologista é o médico com especialização em Anatomia Patológica (residência médica de pelo menos três anos nesta área específica), que trabalha em laboratório particular, hospitais e/ ou universidades.

 Seu papel é fundamental , pois ele é o responsável direto pelo diagnóstico preciso de doenças que necessitam de análise microscópica para sua definição, como a diferenciação entre lesões benignas e lesões malignas (câncer), doenças inflamatórias, como, por exemplo, a gastrite, e ainda de doenças infecciosas específicas, como a tão conhecida tuberculose.

 A partir do diagnóstico é que se pode definir a conduta e tratamento específico do paciente. O Patologista não atende pacientes em consultório, mas está sempre à disposição para recebê-los e responder dúvidas relacionadas ao seu diagnóstico.

 Em algumas situações o Patologista é chamado ao centro cirúrgico para realizar exame transoperatório (também chamado de “congelação”), onde pode estabelecer o diagnóstico através de técnicas mais rápidas, permitindo a definição da conduta a ser adotada pelo cirurgião de forma mais precisa.

Compartilhe via: