ASSALTO E EXPLOSÕES – A História que não foi contada sobre os bastidores das explosões aos bancos em Macarani.

Há exatos
oito dias atrás
,
Macarani amanheceu em estado de choque, aturdida e
assustada com o mais ousado episódio criminoso a atingir a cidade ao longo da
sua História. Em plena segunda-feira
de carnaval, ao invés da ressaca dos bailes de domingo e do tradicional desfile
dos mascarados da Rainha,
tivemos a manhã abalada pelo susto das explosões da Agencia do Banco do Brasil e do Posto de atendimento do Bradesco.
Após
oito dias, a Polícia deu
respostas rápidas com a prisão de vários suspeitos e a morte de um adolescente
de 16 anos que ousou enfrentar os policiais após fugir de um cerco no dia
anterior a sua morte (sexta-feira dia
16).
Mas toda a História não foi elucidada, apenas 16 mil dos 120 mil reais levados (apenas do Banco do Brasil), foram recuperados e agora a Polícia Federal entrou nas
investigações e mais um Delegado Da
Polícia Civil, Dr. Irineu Andrade
, que estava viajando reassumiu suas
funções de titular de Itapetinga e se junta ao Dr. Roberto Júnior (Delegado Regional) nas investigações.
Mesmo
com essas respostas, houve muitas críticas nas redes sociais, especialmente no Facebook, sobre o porquê dos Policiais do 5º Pelotão da Polícia
Militar
não terem ido combater os bandidos ainda no Largo São Pedro. Inclusive
comparações descabidas sobre o dia a dia da rotina da PM e um episódio de alta periculosidade e violência ocorrido
na cidade.
Com
certeza, o que os desavisados não sabem ou não querem saber, o RGBAHIA foi investigar e conversar com alguns
personagens para explicar algumas coisas que precisam ficar claras.

ELES ESTAVAM PRONTOS PARA A GUERRA

Por
exemplo:
No
5º Pelotão em Macarani ficam
de serviço por turno apenas dois Policiais
Militares (normalmente um soldado e um cabo ou sargento no comando da
guarnição).
Esses Policiais ficam com armas simples de uso da PM e cassetetes (não usam nem
teaser). Os bandidos eram em número de dez ou mais, com fuzis e metralhadoras
ponto 40 além de explosivos e ainda levaram reféns com eles o que intimida
qualquer ação de perseguição porque a vida de inocentes vem em primeiro lugar.

Câmeras de Vídeo da área do Pelotão (particulares) a do
próprio pelotão havia sido desligada pelos bandidos assim como foi cortada à
linha fixa do telefone, flagraram elementos em pontos estratégicos nas esquinas
próximas ao Pelotão, armados
com fuzis e metralhadoras prontos para inibir qualquer tentativa dos Policiais
de saírem em diligência naquela noite durante o tempo em que durou a ação dos
bandidos. Ou
seja
: felizmente os dois Policiais
de plantão não adotaram nenhuma ação
heróica
porque teriam sido
metralhados.
O
efetivo da 8ª Companhia da Polícia
Militar
estava reduzido e com poucas condições de enviar o reforço
solicitado de imediato por conta de estarem fazendo a segurança do carnaval nas
cidades onde estava ocorrendo festas de Momo
inclusive a Capital Salvador, Porto
Seguro e Ilhéus
. A CAESG estava
distante de Macarani em outra operação e por isso não teve como chegar e ainda
confrontar os bandidos na BA 170,
que foi a rota de fuga.

E então: você que criticou, ainda criticaria? E se
fosse você o Policial, teria coragem de ir enfrentar os bandidos que estavam
preparados para uma guerra sabendo que não tinha a mínima chance de sair vivo
do confronto?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *