JULGADO E CONDENADO – Fabiano Silva Santos pega sete anos em regime semi aberto por matar Fracismar em Macarani.

Após
seis horas de duração, de embates muito interessantes e as vezes acalorados
entre acusação representada pela Promotora
de Justiça, Dra. Neide Reimão Reis do Ministério Público Estadual
e
o advogado de defesa, Dr. José Pinto
Sousa Filho
, que precisou de duas ou três intervenções da Presidente do Júri, Dra. Giselle Fátima
Cunha Guimarães Ribeiro
, finalmente pouco depois das 18h00 saiu a
sentença do réu, Fabiano Silva Santos,
condenado pelo Júri Popular por ter
assassinado em 15 de março de 2017, Francismar Sousa Brito, o Nem de
Lozinha.

A
acusação descartou a qualificador do crime como se “praticado por motivo torpe” e a própria Promotora pediu o
enquadramento no artigo 121 do Código
Penal
como homicídio simples.
Mesmo assim a defesa, tentou conseguir abrandar ainda mais a condenação pedindo
aos jurados que aceitassem a tese de Fabiano,
muito orientado em seu depoimento de que agiu sobre profunda emoção e que praticou
auto-defesa ao conseguir tomar a
arma de Francismar e disparar
os tiros.

Esse pedido foi
recusado acredita-se
,
porque em nenhum momento do processo, Fabiano
Silva Santos
, conseguiu dar qualquer prova de que a arma não fosse
dele. Mesmo assim, não se pode dizer que houve vencedores ou vencidos, perdedores ou ganhadores, a família
segue com a dor de ter perdido Francismar  e segundo o Pai Lozinha, com a dor de que 
a Justiça poderia ter sido mais duramente aplicada.
Fabiano conseguiu uma pena de
sete anos e meio, dos quais já cumpriu um ano e quatro meses, mas ficará em
regime semi-aberto, podendo ficar livre e até trabalhar durante o dia, tendo o
compromisso e a obrigação de à noite voltar para sua cela.

A Justiça em Macarani deu sua resposta ao
estado e a sociedade, e num país onde muitas vezes os crimes prescrevem por
conta da morosidade do Judiciário, Dra. Giselle Fátima, dá exemplos
a cada dia de que não compartilha com essa prática e procura julgar os criminosos
por seus crimes no mais curto espaço de tempo possível. Falando nisso: amanhã quinta-feira (23) haverá outro júri, por
agressão a mulher, quando Marquinhos
de Arlindo
, será julgado por tentativa de assassinato contra sua ex-companheira, talvez seja esse o
primeiro júri por tentativa de prática de
feminicídio
de um homem contra sua ex-mulher em Macarani onde réu e vítima
estarão frente a frente no Tribunal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *