POLÍTICA – Com velhas cobranças, vídeo improvisado e Banco do Brasil na ordem do dia. Assim recomeçaram os trabalhos da Câmara.

Depois
de mais de dois meses de recesso, o mais longo da História do Legislativo Municipal e segundo alguns
vereadores, o mais longo do Brasil,
a Câmara De Vereadores,
reabriu nesta segunda-feira (19) os trabalhos para o ano legislativo 2018. Como assunto em votação nada foi
colocado, afinal de contas a cidade está tranquila e bem administrada, tendo
apenas necessidade de velhas e corriqueiras cobranças.

PRESIDENTE TESTA NOVO MICROFONE
E
como o Presidente Edmílson Lima,
achou que não valia a pena retornar debatendo velhos assuntos, ele mesmo
decidiu limitar a fala de cada Vereador
em apenas cinco minutos
com extensão máxima de mais três
para considerações finais. De novidade
mesmo,
apenas os novos
microfones
comprados pelo Presidente
com tecnologia de ponta, alta sensibilidade de captação e qualidade de som e
designer ultramoderno.
No
mais, desde o início da primeira fala que foi facultada ao Vereador Rubenaldo Wagner Ribeiro, o assunto em discussão
foi o assalto ao Banco do Brasil e ao
Posto Avançado do Bradesco
que foram explodidos no último dia 13, segunda-feira
de carnaval.

Até
o Vereador Janilton Alves,
que começou a sair do tema do assunto Bancos
para fazer cobranças a Administração
e aos próprios companheiros sobre outros problemas da cidade foi contido pela ampulheta (antigo relógio de areia) do tempo do Presidente e teve que se calar. Com um público bem abaixo do
que foi a primeira sessão do ano passado e outras sessões ao longo de 2017, os
nossos edís puderam finalmente começar o ano.

PRIMEIRO PÚBLICO DO ANO NÃO PARECEU MUITO ANIMADO

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *