POLÍTICA – Vereadores irão cobrar explicações e atitudes sobre reabertura dos bancos em Macarani.

Dois
meses e oito dias completam nesta terça-feira (24), que Macarani entrou em um pesadelo do qual até hoje não acordou,
e ao que parece a escuridão no túnel não emite sinais de luz para indicar que
está perto de terminar. Após o dia 12 de fevereiro, em que uma quadrilha
fortemente armada explodiu a agência do Banco
do Brasil e o Posto do BRADESCO,
a cidade passou a viver os piores dias
de sua História.
Mas,
pior do que os problemas econômicos gerados pela ausência dos bancos, pela
buraqueira da rodovia BA 270, pela
drástica redução de dinheiro circulando na cidade, é o sentimento de que nada,
absolutamente nada está sendo feito para solucionar todos esses problemas o
mais rapidamente possível. Até o momento, quase 70 dias após as explosões, nenhum sinal de reconstrução da agência
do Banco do Brasil ou do PA do Bradesco
foi iniciada.

A
operação tapa buracos anunciada pelo governo do estado está à passo de
tartaruga e nem saiu direito do perímetro urbano de Itapetinga. Um executivo do Banco
do Brasil
esteve em Macarani com muita conversa bonita em microfones de
rádio, mas ficou só na conversa e o BRADESCO,
nem conversa houve até o momento.

E
essa inércia, foi um dos assuntos discutidos ontem na Câmara de Vereadores, e que foi puxado pelo Vereador Rubenaldo Wagner Ribeiro, que denunciou a falta de
prioridade que no início era dada aos macaranienses na agência de Itapetinga para onde foram relocados os funcionários de Macarani e que já não existe mais.


o Vereador Gláuber Costa,
anunciou que iria propor que a Câmara
enviasse ofício ao Ministério Público
Estadual (MPE),
para que o mesmo ajuizasse uma ação determinando ao Banco do Brasil que fixe uma data
limite de início das obras e reabertura da agência ou que busque alternativas
que facilitem a vida dos macaranienses.

Na
oportunidade, o Presidente da Câmara
Edmílson Lima
, pediu para aguardar uma reunião que será marcada para a
próxima semana com a participação de comerciantes,
direção do banco do Brasil e (ou) representante do Bradesco, poder executivo, judiciário
e legislativo
para uma discussão ampla e esclarecedora sobre o assunto.
JUSTIÇA
A
Justiça está fazendo sua parte e seguindo os trâmites normais na parte de
responsabilidade criminal. Nesta terça-feira, (hoje 24/04) serão ouvidos pela Juíza Dra. Giselle Cunha Guimarães Ribeiro e o Promotor Dr. José
Junseira
, os elementos acusados de fazerem parte da quadrilha e que
foram presos e indiciados no inquérito policial. Serão ouvidos os acusados: Bismark Silva Rocha, James
Lima Bezerra, Rogério Gomes e Joílson Dos Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *